My Au Pair Journey

Ga Lynxi in New Jersey

Introdução

Isso que dá ser estudante de Letras, tentei até por um sumário aqui, mas o melhor mesmo é começar com a Introdução.

Como começou essa história de Au Pair? Uma manhã de TPM no início de 2010 eu chorava pelas dificuldades inúmeras que enfrentava na USP com o japonês, e meu pai falou: “você é muito nova para se estressar desse jeito, vá para fora do país”. E assim comecei a ver vários projetos de intercâmbio. Maaassss não podia gastar uma fortuna com qualquer certificado de inglês, e estava quase desanimando quando descobri o Au Pair. Ei, eu poderia pagar esse e como sou professora infantil seria perfeito, tiraria um certificado legal, e além disso poderia fazer aulas que não de idioma – como já tenho um inglês mais ok queria algo diferente da aulinha de FCE sabe? Algo como aula de literatura, culinária, algo bem diferente, na qual eu realmente tivesse que me virar com o inglês ‘nativo’.

Depois disso, eu me convenci! Aí veio a parte difícil: convencer todo mundo! Meu pai não queria que eu fosse por um ano. Minha mãe não queria que eu fosse pronto. Na verdade, até hoje os dois estão ainda meio na corda bamba, mas resignados (hello, embarco em menos de um mês, já era hora!). Expliquei para eles que era um sonho, que eles criaram uma filha independente, com sede de novas aventuras, de aprender coisas novas, ver o mundo, conhecer culturas e línguas! EUA é só o começo, não descanso até pisar em todos os continentes, viu? Minha madrinha, ‘viajadoira’, super me apoiou!! Minhas amigas ficaram bem apreensivas no começo, vi muita cara feia, falta de vontade de ajudar (vontade de atrapalhar tabém ¬¬), mas como tenho ótimas amigas de verdade, no fim deu tudo certo, e as convenci que vai até ser bom ficar longe da doidinha aqui por um ano, elas não vão ter que aturar minhas doideiras no volante (do tipo entrar num lugar escrito: “não entre, campo de testes” enquanto cinco meninas discutem para onde ir e o GPS fala “retorno” XD) ou minha voz de Kurt Hummel cantando Defying Gravity (Glee!!!!), e elas riram, mas me apoiaram também (afinal, eu já tinha pago o programa quando comecei a contar para todo mundo, já não tinha mesmo mais volta!).

E aí veio a outra parte difícil, fazer o app e ficar online e conseguir uma host family! Por incrível que pareça, o match foi o mais fácil de tudo, graças a Deus!!!!!!

E é assim que dia 26 de junho de 2011 estarei embarcando para Saddle River, New Jersey, para uma família com um boy de 6 anos, o Bobby, e pretendo contar aqui todas as maluquices que aprontar no outro hemisfério!!!!

No próximo post, falarei sobre o processo do visto, muito muito temido pelas futuras au pairs (inclusive eu! mas deu tudo certo e meu passaporte chegou hoje com meu visto aqui em casa!!!)…

 

See you later, alligator!!

This entry was posted on quarta-feira, junho 1st, 2011 at 20:01 and is filed under Sem categoria. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

4 Responses to “Introdução”


  1. 17:03 on junho 2nd, 2011

    Seu blog ficou mto mto lindo !!

  2. nilda
    22:30 on junho 2nd, 2011

    filha, sou muito orgulhosa por ter vc. mas a insegurança e preocupação com tudo são inevitáveis. nunca vou deixar de achar que vc deveria ficar aqui. mas essa conclusão só vc pode tirar. eu espero ansiosa por isso. mas, como hoje é inevitável, só me resta rezar por você. espero que Deus ilumine cada passo seu. beijo

  3. Gabi 2
    22:21 on junho 8th, 2011

    Oie!! Seu blog tá lindo! Aproveite bastante a viagem E volte com muitas histórias para nos contar. (:
    “…because the only way to really know it’s a mistake is to make the mistake and look back and say ‘yep, that was a mistake.’ So really, the bigger mistake would be to not make the mistake, because then you’d go your whole life not knowing if something is a mistake or not.”
    Se cuida, viu!? Beijos, Gabi.

  4. admin
    22:42 on junho 8th, 2011

    Que lindo Ga!! Isso é de uma música???

Deixe um comentário